quinta-feira, 29 de outubro de 2015

Linces do Mundo (Lynx spp.)




"Quando a ultima árvore tiver caído, quando o último rio tiver secado, quando o último peixe for pescado, vocês vão entender que dinheiro não se come"






No nosso planeta existem actualmente 4 espécies de linces distribuídos pelo hemisfério norte.

 
1- Lynx canadensis; 2- Lynx lynx; 3- Lynx pardinus; 4- Lynx rufus       



Os linces são mamíferos da família dos gatos domésticos, sendo, no entanto, de maiores dimensões, podendo pesar até 30 kg. São felinos carnívoros que pertencem à  família Felidea, a qual inclui animais de grandes dimensões como o leão, o tigre ou o jaguar, e igualmente animais de menores dimensões, como o gato-bravo, gato doméstico ou o acelote. Apesar de serem muitas vezes classificados dentro do género Felis, estes possuem o seu próprio género Lynx. 

Fisicamente têm cauda curta e orelhas bicudas com pinceizinhos na ponta. Possuem bigodes ultrassensíveis (vibrissas), pelagem espessa e patas largas como adaptações à vida sobre a neve no inverno. Possuem ainda barbas, que se abrem quando se sentem ameaçados. Os habitats preferenciais dos linces são as florestas e zonas de vegetação densa em geral, onde abundem roedores e lagomorfos, sendo a lebre a sua presa principal no inverno.

Lince do canadá ( Lynx canadensis )




Espécie nativa do Canadá e parte dos Estados Unidos.
Com pelagem bastante densa, cauda curta com pinta negra na extremidade e patinhas cobertas de pelo, esta espécie está perfeitamente adaptada para caminhar e correr na neve. É um pouco mais pequeno que os linces europeus, embora tenha cerca do dobro do tamanho de um gato doméstico.

Apesar de serem animais solitários, necessitam de territórios largos pois costumam percorrer entre três a cinco quilómetros por dia.

Ao contrário de outros felinos, o lince do Canadá depende exclusivamente de uma única presa, a lebre americana (Lepus americanus), e está perfeitamente adaptado a este animal em particular.

As suas populações até estão sincronizadas: as lebres americanas atingem um pico populacional a cada dez anos, tal e qual estes linces, e quando diminuem as populações de lebres, as populações de lince seguem o mesmo rumo.

Ameaças:

O estado de conservação desta espécie é considerada pouco preocupante apesar da mesma ser perseguida e capturada pelas suas peles.


Lince-euroasiático ( Lynx lynx )



O Lince euroasiático é um felino de tamanho médio nativo nas florestas da Europa e da Sibéria, onde é um dos principais predadores. A sua principal caça pode variar desde lebre a veado adulto.
Este lince é o maior dos linces, podendo chegar a pesar 30 kg.  
O seu pelo é cinza-avermelhado com algumas manchas negras características. O padrão de pêlo é variável; linces com pêlo fortemente manchado podem existir junto de linces com pêlo que não apresenta manchas.

Ameaças:

O Lince euroasiático foi classificado como fora de perigo no IUCN Red List desde 2008, visto este estar amplamente distribuido e a maioria das populações ser considerada estável.
No entanto, a perda de habitat e a caça são as principais ameaças para esta espécie. 

Lince ibérico ( Lynx pardinus )



Esta é a espécie de felino mais ameaçada no mundo, apesar de nos últimos anos o número de indivíduos ter subido devido ao programa de reprodução em cativeiro em centros de Portugal e Espanha.

O lince ibérico foi descrito em 1827 por Coenraad Jacob Temminck, inicialmente no género Felis. O mesmo já foi considerado uma subespécie do lince-euroasiático, mas estudos morfológicos e genéticos corroboram a hipótese de ser uma espécie separada.
É endémico da península ibérica e até bem pouco tempo estava considerado extinto em Portugal, tendo no entanto, em 2014, sido reintroduzidos os primeiros exemplares em Portugal.

Ameaças:

A principais ameaças desta espécie são a perda de habitat e a falta de alimento devido à doença hemorrágica dos coelhos. No entanto muitas outras estão a ameaçar de forma preocupante esta espécie, tais como caça ilegal, uso de venenos e a morte por atropelamento.


Lince-pardo (Lynx rufus)


O lince-pardo ou lince-vermelho é nativo da América do norte. Esta espécie pode ser encontrada desde o sul do Canadá até ao norte do México. 
É um predador adaptável que habita ambientes diversos, tais como florestas, semi-desertos, zonas urbanas ou até pantanosas.

Ameaças:

A espécie está listada no Apêndice II da Convenção sobre o Comércio Internacional das Espécies da Fauna e da Flora Silvestre Ameaçadas de Extinção (CITES), o que significa que não é considerada ameaçada, mas que a caça e o comercio devem ser monitorizados. Ou seja esta espécie continua a ser perseguida e morta de forma legal para obtenção de pele. No entanto a maior ameaça desta espécie é a perda de habitat.




Não podemos deixar que estes seres magníficos desapareçam do nosso planeta, é nosso dever protegê-los...

  • Digam não ao uso de peles,
  • Tenham cuidado nas estradas, pois eles não distinguem onde podem ou não atravessar,
  • Denunciem sempre que virem alguma armadilha, veneno ou algum acto que ponha em risco a vida ou o habitat desta e de outras espécies,
  • É importante dar o exemplo e cuidar da natureza, pois um ambiente são é meio caminho andado para uma fauna feliz,
  • E já agora ensinem as crianças a respeitar o meio ambiente, sejam essas crianças familiares, vizinhos, ou qualquer criança que se cruze no vosso caminho... as crianças aprendem por imitação e nós somos o exemplo.




terça-feira, 13 de outubro de 2015

Receita de Tahini caseiro






Tahini é uma pasta de sésamo muito utilizada na cozinha do Médio Oriente.
O tahini é depois das algas a maior fonte de cálcio que existe, excelente fonte de proteína, fibra, cobre, manganês e metionina. Tahini é também uma grande fonte de ómega-3 e ómega-6.

Para fazer tahini em casa só necessitam de sementes de sésamo, água e sal.

Coloquem as sementes de sésamo num tacho e aqueça em lume brando de modo a tostar levemente as sementes. Elas devem passar de cor branca para douradas. Este processo é muito rápido, logo não deixem queimar as sementes pois o sabor não será muito agradável.
Depois de tostadas deixem arrefecer e de seguida coloquem-nas no processador com 3 colheres de sopa de agua para começar. Vá triturando e junte a água necessário aos poucos até que a mistura se transforme numa pasta como a da imagem que se segue. Juntem um pouco de sal se desejarem e muito amor. :)






O tahini pode ser utilizado como complemento de muitos cozinhados e doces, tais como falafel, bolachas ou como molho para pão pitta, mas o uso mais conhecido internacionalmente é na famosa e deliciosa receita de hummus ( Receita que irei colocar brevemente no blog ).


Bom apetite ;)

segunda-feira, 12 de outubro de 2015

~*~ Bolo de abóbora sem ovos nem lacticínios ~*~







Ingredientes:

1 1/2 copos (370 g) de puré de abóbora
1/4 de copo (55ml) de óleo de coco ( ou 60ml de óleo vegetal )
3/4 copos ( 150 g ) de açúcar mascavado
2 colheres de sopa de sementes de linhaça trituradas + 6 colheres de sopa de agua quente
2 copos ( 250g ) farinha integral
1 1/2 colher de chá de bicarbonato de sódio
1 1/2 colher de chá de fermento
1/2 colher de chá  de sal



Preparação:

Pré-aqueça o forno a 175ºC. Unte uma forma para pão de 9x5 .
Numa vasilha misture o puré de abóbora, o óleo de coco, o açúcar mascavado e a mistura de sementes de linhaça. Adicione aos poucos a farinha, o bicarbonato de sódio, o fermento e o sal.
Coloque a mistura na forma e leve ao forno durante aproximadamente 50-60 minutos.
Deixe esfriar antes de desenformar.

Juntar amor e comer com alegria :)