sábado, 18 de abril de 2015

Quando a comida vira lixo

De certeza que todos já ouviram falar da comida dentro da validade mas proibida para venda por estar muito próxima da mesma, colocada nas traseiras dos supermercados e regada com lixívia para que nenhum tipo de ser vá ali tentar tirar a barriga de misérias. Cheguei mesmo a ouvir falar de  casos de pessoas intoxicadas, chegando até mesmo a morrer devido à ingestão de tais alimentos. 

A Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO), que mantém sob vigilância tudo o que é cultivado e consumido como alimento em todo o mundo, calcula que, todos os anos, um terço dos géneros alimentares produzidos para consumo humano no planeta perde-se ou é desperdiçado ao longo da cadeia que vai das quintas às unidades transformadoras, aos mercados, aos pontos de venda, aos restaurantes e às nossas cozinhas. Representando 1.300 milhões de toneladas, esse total seria suficiente para alimentar três mil milhões de pessoas. 

http://www.nationalgeographic.pt/index.php/artigos-arquivados/arquivo/72-161/256-o-pre%C3%A7o-do-desperd%C3%ADcio-de-comida



Já em Portugal, segundo o Projecto de Estudos e Reflexão sobre o Desperdício Alimentar (PERDA), elaborado pelo Centro de Estudos de Sociologia da Universidade Nova de Lisboa em 2012,  29% do desperdício alimentar é feito na fase de comercialização devido a más condições de armazenagem, falta de refrigeração, falhas na gestão do stock ou nos produtos que não são vendidos. São 298 mil toneladas, incluídos nos mais de um milhão de toneladas que os portugueses deitam fora, desde a produção agrícola até ao prato. Com o mercado concentrado nos grandes operadores de distribuição — 85,8% de quota, enquanto o comércio tradicional tem 14,2%, de acordo com dados da empresa de estudos de mercado Nielsen do primeiro semestre — a maior fatia de desperdício ocorre, por isso, nos supermercados.
http://www.publico.pt/sociedade/noticia/ha-comida-que-so-nao-vai-para-o-lixo-porque-e-doada-1679069

São projectos como 'PERDA', 'Fruta Feia' ou Refood que, em Portugal, tentam lutar contra o desperdício, fruto do consumismo desenfreado.



Deixo-vos este episódio de 'Subculture Club', onde um grupo de freeganos explicam como viver e participar de forma limitada na economia convencional através de um consumo mínimo de recursos.




O freeganismo é um estilo de vida alternativo baseado no boicote ao consumo, já que os processos produtivos geram exploração de animais e humanos, além de graves impactos ambientais.

Irei noutro post aprofundar um pouco mais este tema. 


Penso que está na hora de mudarmos de atitude. Tentar reduzir o consumo descontrolado com que nos deparamos nos dias de hoje é apenas um pequeno passo para um futuro mais saudável.
Planta a tua própria comida, consome só o necessário e acima de tudo respeita os outros seres, pois o mundo é de todos e cada atitude conta.




Sem comentários:

Enviar um comentário