quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

Imprinting - Saiba o que é e qual a sua importância no saudável desenvolvimento de qualquer animal



Quando decidir adoptar um animal, tenha sempre em consideração a fase de imprinting do cachorro.

No caso dos cães e dos gatos, se estes estiverem com a mãe, nunca os adopte com menos de 3 meses de idade.




Imprinting é um substantivo da língua inglesa, que pode significar impressão, marca, cunho, carimbo, sinal, etc. Esta palavra também é usada para descrever conceitos e fenómenos relacionados com a genética e psicologia.

Todos nós nascemos de uma mãe e o normal seria crescermos no seio de uma família, o que infelizmente por vezes não acontece. No entanto, pensando em termos gerais, essa é a lei natural das coisas, qualquer animal nasce de uma mãe e é através dela ou dos seus semelhantes que aprende a comportar-se e a socializar-se com os da sua própria espécie ou até mesmo com espécies diferentes.






É do conhecimento geral que as crianças nos primeiros anos de vida são como uma esponja, absorvendo todo o conhecimento transmitido, seja este positivo ou negativo. Quanto mais activos forem os progenitores e educadores nesta matéria, mais saudável será o desenvolvimento da criança.
Este primeiros anos são cruciais para a formação de adultos equilibrados. 

Ora bem, quando falo em crianças refiro-me a qualquer espécie, pois não só o ser humano necessita de tempo para o seu desenvolvimento. Qualquer animal, independentemente da espécie necessita de um tempo determinado para adaptação ao meio e desenvolvimento da personalidade. 

Quem se recorda do filme "Voando para casa" de Carrol Ballard, onde uma menina de 13 anos, depois de encontrar alguns ovos de ganso selvagem que tinham caído de uma árvore derrubada, cria e ensina a voar estas maravilhosas aves. Esta menina torna-se a mãe adoptiva destes bebés, no entanto os gansos são aves migratórias que viajam no inverno para climas mais temperados. A mãe tem o papel de preparar os filhos para estas longas viagens, caso contrario nunca chegarão à fase adulta, morrendo de fome,  por ataque de predadores, ou mesmo de frio por não conseguirem seguir o seu rumo.





O imprinting foi um conceito desenvolvido pelo zoólogo austriaco Konrad Lorenz, pertencendo ao ramo da psicologia, mais concretamente na psicologia do desenvolvimento e é nada mais nada menos que a "estampagem" do ser em questão, ou seja, o tempo que uma cria leva a aprender que é de uma determinada espécie e não de outra e como se deve comportar e agir dentro dessa mesma espécie.
O trabalho de Lorenz forneceu uma evidência muito importante de que existem períodos críticos na vida onde um tipo definido de estimulo é necessário para o desenvolvimento normal.





O imprinting é também objecto de estudo da etologia, porque está relacionado com o comportamento animal. Nesta etapa inicial da vida, o imprinting consiste numa fase essencial e mais propícia para a aprendizagem e consequente desenvolvimento. Os dois principais tipos de imprinting são o sexual e o filial. No imprinting sexual um animal jovem aprende as características dos seus irmãos de ninhada, as quais posteriormente irão influenciar suas preferências sexuais. O imprinting filial consiste na aprendizagem de uma cria com o seu/sua progenitora. 
As primeiras horas de vida são um período crucial para o desenvolvimento dos animais ( no qual se incluem os seres humanos ), pois neste período os animais absorvem intensamente o comportamento de outro. O imprinting tem uma grande importância, pois funciona como um instinto de sobrevivência nos recém-nascidos.
Nas aves o imprinting filial dá-se assim que nascem, no entanto, no caso dos mamíferos demora mais tempo.





Ou seja, o período de imprinting depende de espécie para espécie.
Nos humanos existem períodos críticos onde as crianças estão mais aptas para a aprendizagem. Já no caso dos cães e gatos esse período dá-se até aos 4 meses de idade.

Imprinting canino:

No caso dos cães, é neste período que se consolida o entendimento sobre a hierarquia e principalmente sobre a comunicação com os outros cães. O cachorro aprenderá aspectos sociais e psicológicos da sua espécie e isso só é possível com a sua matilha original.





Retirar o cachorro cedo demais da sua família canina, afectará a oportunidade dele se desenvolver socialmente. Nos 4 primeiros meses de vida o cachorro necessita do intenso contacto com a mãe e irmãos para dar inicio à formação da sua personalidade. 
Este período é considerado o período sensível ou critico, visto que a separação da cria antes deste tempo pode levar a deficiências na aprendizagem da linguagem para comunicar com outros cães e habilidade para se posicionar na hierarquia de grupo, levando por sua vez a dificuldades de socialização e problemas comportamentais.


Antes de separar um bebe da sua mãe, tente informar-se da existência de animais órfãos em centros de acolhimento para animais. Caso contrário espere até aos 3/ 4 meses para os separar e de-lhe todo o amor que a mãe verdadeira lhe daria.


.




Fontes:
http://fcdefpsicologia.blogspot.pt/

Sem comentários:

Enviar um comentário